Pesquise

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Contra-Cultura Cristã

Foto: Ariovaldo Carlos Jr. 
    Seguir a cultura gospel é agradável, quando em nome de uma paixão por Jesus, nos alienamos de tudo que é relevante no nosso meio, e de todos que não estão nele. Aliena-se das questões políticas, sociais e culturais em nome da fé. Ouse de forma sutil, investigar e coletar opiniões sobre algum tema teológico mal resolvido. As respostas vem como quem acha normal rasgar a bíblia, e ficar com a cultura. Vamos para o lado prático. Desde assuntos simples como vestimenta, aparência, opção musical, até questões mais complexas como hierarquia eclesiológica, opção política, costumes “espirituais”, respeito à “santa” casa de Deus, ignoram completamente o ponto de vista bíblico, e escolhem como referencia a cultura que é passada de pais para filhos dentro da igreja de hoje, com tanto zelo. Deus tenha misericórdia. 
   Já a contra-cultura se torna agradável, não pelo conforto que proporciona (até porque não é nenhum pouco confortável), mas pela adrenalina de sonhar um dia, talvez, salvar o mundo. Ir contra tudo que parece normal, agoniar-se com o que traz estagnação, rebelar-se contra o que foge do conceito de evangelho da graça, são algumas da posturas do adepto da contra-cultura. Eu, particularmente, os chamaria de neo-reformistas.
  Mesmo sem querer rotular, acabamos por fazê-lo ao descrever quais grupos são predominantes no movimento contra-cultura. São eles os headbangers, punks, hippies, rastas, e todos aqueles gêneros do underground, que por sua vez não tem como ser desvinculado da contra-cultura nem do ativismo.
 Bandas de Hardcore, Death Metal, Screamo, Ska, Punk Rock, Reggae e outros estilos alternativos tem feito parte do circuito underground, levando a mensagem da cruz de forma diferente, e muitas vezes não aceita pelo Gospel, afinal sería difícil obter-se lucro de tais vertentes. Damos graças a Deus por não ser nosso, o público gospel.
  Mas como enxergar sem medo, e sem preconceitos, um louco, tatuado, enfeitado por piercings, gritando palavras de sabedoria e amor? A triste realidade é que o preconceito vem de quem não está fazendo o mesmo. As palavras de julgamento tem vindo daqueles que não saem da zona de conforto. Deixando de lado a hipocrisia, o adepto das missões underground, resolveu pagar o preço de deixar a pobre cultura de lado, e agarrar-se na certeza bíblica de que Cristo veio para todos, e seu amor e misericórdia são gratuitos. A graça de Jesus não depende de nossos atos culturais, não depende de nossos esforços. Pelo contrário, se dependesse estaríamos litelmente fritos.
  Até quando o evangelho do medo vai ser recitado nos palanques gospel? Até quando a igreja vai insistir em questões irrelevantes para a sociedade de hoje? E quando vamos entender que julgar o próximo não vai resolver o problema dele? Quando vai cair a ficha de que ter razão sobre o certo e o errado, não vai resolver a fome de quem não tem o que comer, nem o frio do mendigo sem coberta, nem a falta de escola para a criança do morro, nem a carência do homossexual, muito menos os distúrbios do viciado.
 Com essas indagações é possível entender o porque de um movimento como o contra-cultural estar crescendo tanto. Não creio que seja porque está se tornando modismo, mas sim porque não está na moda pensar no próximo, e os componentes desse movimento tem se rebelado contra tal absurdo.
 Chega de cultura presa à shows e marchas para um jesus que não se assentaria na mesa com cobradores de impostos, nem conversaria com prostitutas e leprosos. Um jesus de terno e gravata, que se corrompe com qualquer quantia em dollar. Um jesus de igrejas laranjas, que carrega consigo notas fiscais frias, e escrituras de haras e mansões no exterior.
 Nossa oração é que um dia nosso grito de revolta ecoe no meio da multidão surda, cega e muda. A multidão que se faz aleijada na obra do Senhor, há de um dia se tornar a minoria. E cantaremos juntos por um Jesus verdadeiro, que ama a todos independente de qualquer circunstância.
Filipe Fernandes    

Via: Solomon


9 Comentários...:

Mariáh disse... Responder comentário

Amei o texto, manas! *--*
Saudades de vocês, snif, snif...


Num mundo como o de hoje, fazer parte de uma contra-cultura, ainda que cristã, é considerado fora de moda. A moda é ganhar $ , né?
E gostei da expressão criada pelo autor "neo-reformistas", hehe.


Só um comentário a fazer sobre outro ponto.
Devemos aceitar todos os grupos citados no texto, mas nós, como igreja, não devemos ser como eles (os headbangers, punks, hippies, rastas). É uma questão não de contra-cultura nesse caso, mas de escândalo para os não cristãos.
Na minha igreja, é claro, tem gente com tatuagem, mas feita em tempos de ignorância.
A gente ensina a não fazer algo que pode prejudicar um irmão por ser escândalo pra ele.

Não me estranhem, sou de uma igreja neo-tradicional! hahaha


Beijõoooes! Amo ocês!

PAULO CESAR disse... Responder comentário

DEUS é maravilhoso!!!! me transformou!!!!! dou glórias a ele todos os dias!!!!! eu sou o cara da foto, nuitos não entende mas ele vai me usar ezatamente dessa forma, não sequindo a esteriótipos ditados pela raça humana hipócrita, que quer te manipular falando que isso e certo ou errado, chega de tanta hipócresia!!!! somos libertos em CRISTO JESUS ISSO QUE IMPORTA!!!!!

Red Rose disse... Responder comentário

Muito bom o texto. Realmente a igreja tem que se levantar e sair da zona de conforto, parar de reclamar que não dá para agir porque precisa de mil e uma coisas e começar a agir com o que tem mesmo. A hora de fazer algo já passou, e pelo visto estamos atrasados!

Thayse Fidélis disse... Responder comentário

O problema é que muitos "vem como estão" e acabam infelizmente ficando como estão...

Onde está o ser luz do mundo, o fazer a diferença, o brilho de cristo???

Claro, nós como cristãos não podemos ser preconceituosos, mas nos conformar, achar que é normal, aceitar o que o mundo prega ser correto, compactuar com as coisas as quais Deus abomina?! Não, não foi para isso que fomos chamados!

Loucos Por Uma Causa disse... Responder comentário

@Mariáh Pois é, querendo ou não já fazemos parte da contra-cultura, né?! rs Realmente, não devemos fazer as mesmas coisas que os que não conhecem a Cristo fazem, e sim, mostrar a diferença através de nossas atitudes! Fica tranquila, Mari, nós também somos! ahaha

Beijão, mana louca! Amamos você ♥

Loucos Por Uma Causa disse... Responder comentário

@PAULO CESAR Amém, Paulo César! Glórias a Deus! Deus te transformou e te chamou pro Reino de Luz, e Ele quer te usar do jeito que você é, basta que você se coloque a disposição dEle! Louvado seja Deus pela sua vida, irmão! Deus te abençoe! Obrigada pela visita e volte sempre! Graça e Paz. (:

Loucos Por Uma Causa disse... Responder comentário

@Red Rose Falou tudo! Apoiadíssima! Enquanto ficamos parados buscando o "melhor" para nós, o mundo clama por salvação em Cristo! Graças a Deus que nos tem despertado. Que Ele nos use para ser Sua resposta nessa geração... \o

Loucos Por Uma Causa disse... Responder comentário

@Thayse Fidélis Realmente, querida, temos que ser luz e sal... E isso só conseguimos através de uma vida diária com Deus que se reflete em nossas atitudes... Somente através das nossas ações e do nosso dia a dia podemos mostrar o brilho de Cristo. E exatamente como você falou, não podemos ser preconceituosos, porque senão como vamos chegar à alguém que ainda não conhece a Deus e falar de Seu amor?! Temos que pedir a cada dia que o Pai nos ajude a nos esvaziar de todo pré-conceito e nos encher com Seu amor, que vai além de qualquer coisa...

Andre Moreira disse... Responder comentário

nóssa cara! realmente incrivel, o texto conseguiu expressar muito do que eu tbm acredito, temos que reter sempre o que é bom, mas com isso temos que ter cuidado pra não aceitar em tudo que vem de quem diz esta falando em nome de Deus. Quem se padroniza se limita muito!!

Postar um comentário

E aí, gostou do que encontrou aqui??
Tá esperando o quê pra comentar?!
Fique à vontade para dizer o que achou!E fique atento pois responderemos aqui mesmo! (:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...